ÁREA EXCLUSIVA PARA ALUNOS
Login: Esqueci
a minha
senha
Senha:

<< Veja outras notícias     << Voltar para a Home
Concurso Banco Central 2017/2018: nova escolaridade de técnico gera controvérsia
30/06/2017
  

Até o próximo dia 10, o presidente Michel Temer irá se posicionar com relação a um tema que poderá afetar diretamente o futuro de quem planeja participar do próximo concurso do Banco Central (BC) para o cargo de técnico (concurso Banco Central 2017/2018). A data, é o prazo para o chefe do Executivo federal vetar ou sancionar a elevação da escolaridade do cargo, hoje de nível médio, para nível superior, conforme aprovado pelo Congresso Nacional no início deste mês.

 

Alteração poderá impactar novo concurso

  

A mudança poderá impactar tanto no acesso à futura oportunidade, uma vez que a restringirá aos que possuem ou estão próximos de concluir o ensino superior, assim como na concorrência, que tenderá a ser tanto menor, quanto mais qualificada. Enquanto a decisão não vem, defensores e opositores da medida expõem seus argumentos.

 Diretor da Associação Nacional dos Analistas do Judiciário e do Ministério Público da União (Anajus), uma das entidades que assinou carta aberta ao presidente Temer, pedindo o veto à alteração, Emídio Prata, afirmou que o documento já foi entregue e encontra-se no gabinete da Presidência da República.

 Embora reconheça que não é possível dizer o que irá acontecer, Prata disse acreditar no veto. “O Ministério do Planejamento não tem interesse nesse tipo de transposição de cargo, porque isso vai impactar o orçamento. Em um primeiro momento não. Mas em um segundo momento, a categoria vai pedir equiparação com os cargos de nível superior”, afirmou.

BC defende a elevação da escolaridade

Por meio de sua Assessoria de Imprensa, o BC lembrou que a atual estrutura das carreiras do banco foi definida em lei em 1996 e que “nesses últimos 20 anos, as atribuições e os desafios postos ao BC evoluíram muito em escopo e em complexidade, o que demanda a atuação de servidores cada vez mais bem capacitados”, o que torna “recomendável” o requisito de nível superior para os ocupantes dos seus cargos.

Ainda de acordo com a autarquia, para isso, o banco atua internamente, motivando os técnicos que ainda não detém formação superior a ingressarem no programa Primeira Graduação e, externamente, apoiando a alteração do nível de escolaridade para o ingresso de novos técnicos, de médio para superior.

“Essas duas ações, aliadas aos demais programas de capacitação do próprio BC, visam ampliar a capacidade de o BC cumprir sua missão e, assim, entregar maior valor para a sociedade”, finaliza o banco.

O diretor da Anajus rebateu o argumento de que a modernização da carreira e as atribuições desempenhadas atualmente demandam o nível superior. “No Judiciário é usado esse mesmo argumento, de que a demanda e a qualificação do servidor hoje exigem uma qualificação maior. Isso não é verdade”, apontou.

 O primeiro motivo, segundo ele, é que já existem cargos de nível superior. E segundo, é a existência de atividades de apoio a serem desempenhadas. “Porque senão você vai ter um cargo de analista atendendo balcão. Em vez de ficar fazendo parecer jurídico, ele vai estar fazendo trabalho de processar textos, numerar folhas, transferir esses dados para digitalização... Isso é um trabalho de apoio técnico. Não exige necessariamente conhecimento de nível superior”, defendeu.

Pedido de concurso para 990 vagas ao todo

 

Para o cargo de técnico, cuja remuneração inicial é de R$6.882,57 (incluindo o auxílio-alimentação, de R$458), o BC solicitou autorização ao Ministério do Planejamento para o oferecimento de 150 vagas em um novo concurso (concurso Banco Central 2017/2018). A solicitação foi ainda para 800 vagas de analista e 40de procurador, totalizando 990.

 

O cargo de analista é voltado para quem possui o ensino superior completo em qualquer área e garante ganhos de R$17.391,64 no início da carreira. Já para ser procurador da autarquia, é preciso ser advogado e ter experiência mínima de dois anos de prática forense. Para esse, os iniciais são de R$19.655,67.

 

Fonte: Folha Dirigida

 

<< Veja outras notícias
 
Copyright © CEC - Concursos e Editora Curitiba
Rua Lamenha Lins, 59 - CEP 80250-020 - Centro - Curitiba / PR | PABX: (41) 3322.8281
Entre em contato | Veja como chegar
Horário de Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h,
e aos sábados, das 8h às 12h.